A luta contra a trombofilia - EU CURTO SER MÃE

sexta-feira, 25 de julho de 2014

A luta contra a trombofilia

Se tem algo que eu gostaria MUITO de poder levar aos quatro cantos do Mundo é informação sobre a trombofilia. Sempre vou falar, contar, divulgar, dar entrevista, espalhar. Ela faz parte da minha história de dor e de vitória. Ela me marcou para sempre. E ela faz muitas e muitas mulheres sofrerem sem que ninguém diga: você tem trombofilia. 

A trombofilia deixa o sangue mais coagulado do que o normal e em situações como a gravidez isso pode ficar sério e causar a morte do feto e da mãe em qualquer altura da gravidez. Isso foi o que matou Francisco, meu filho, com 38 semanas de gravidez. A placenta e o cordão tiveram coagulos que atrapalharam ele de receber oxigênio. Leia aqui a nossa história. 

Muitas mulheres sofrem com perdas gestacionais e continuam sem diagnóstico. Eu participo de um grupo lindo, com mulheres guerreiras e que tem como objetivo levar informação. Essas guerreiras me ajudaram muito, muito mesmo. No site, criado por elas,www.trombofilia.com tem muita informação e pode ser o início de várias respostas para quem tem problemas com a gravidez. Eu usei durante a gestação da Iolanda as "picadinhas do amor", que são injeções anticoagulantes, as heparinas. Iniciei antes de engravidar e manterei por 40 dias após o parto. Sacrifício? Nenhum! Por um filho eu topo furar até o olho de hora em hora. Esse tratamento trouxe minha pequena e pode ser a luz no fim do túnel para muita gente. 

Trombofílica, sim. E mãe de filho VIVO. Eu consegui! Muito orgulho!!!!


Fiz um vídeo registrando a última injeção antes do parto. Veja abaixo:



11 comentários:

  1. Oi Letícia, você poderia falar um pouco sobre qual é a sua mutação que possibilitou o diagnóstico para trombofilia??? Também fiz essa investigação de mutações e tenho algumas dúvidas... se vc puder compartilhar mais essa parte da sua vida com a gente ficarei muito agradecida!! Um beijo

    ResponderExcluir
  2. Thais, sou homozigoto MTHFR c667t. Mas o tratamento para as trombofilias normalmente segue o protocolo da dose profilática (40mg) por dia independente da mutação. Em alguns casos pelo histórico usa-se uma dose maior. Abs

    ResponderExcluir
  3. Ola leticia.
    Fui diaginosticada com SOP. Porem eu menstruo todo mes, e em alguns meses meu fluxo vem ate no dia esperado.
    Sera que eu estou ovulando?
    Um teste de ovulaçao me ajudaria?
    Um teste de ovulaçao positivo siguinifica que eu liberei o ovulo e ele pode ser fecundado?
    Ou apenas que esta na hora de ovular mas pode ser que eu nao o libere?
    Me ajude por favor o meu MAIOR sonho é. Ser MAE

    ResponderExcluir
  4. Ola leticia.
    Fui diaginosticada com SOP. Porem eu menstruo todo mes, e em alguns meses meu fluxo vem ate no dia esperado.
    Sera que eu estou ovulando?
    Um teste de ovulaçao me ajudaria?
    Um teste de ovulaçao positivo siguinifica que eu liberei o ovulo e ele pode ser fecundado?
    Ou apenas que esta na hora de ovular mas pode ser que eu nao o libere?
    Me ajude por favor o meu MAIOR sonho é. Ser MAE

    ResponderExcluir
  5. Samara, o teste de ovulação dá um norte Mas não é tão preciso. O indicado é um ciclo acompanhado com ultrassom seriado. Abs

    ResponderExcluir
  6. Letícia, quanto tempo antes do parto você fez a última aplicação da enoxaparina? Alguns lugares dizem 24 hs e outros 48hs. Meu medico disse 48 hs mas estou bem insegura. E vc voltou a tomar quanto tempo após o parto? Muito obrigada!!!

    ResponderExcluir
  7. Só a misericódia de Deus pra nos tirar de uma situação dessas. Usar a medição e entregar nossa vida e a vida do bebê em tuas mãos Senhor!

    ResponderExcluir
  8. Só a misericódia de Deus pra nos tirar de uma situação dessas. Usar a medição e entregar nossa vida e a vida do bebê em tuas mãos Senhor!

    ResponderExcluir
  9. Olá Letícia!! Há uns meses acompanho o seu blog, e já assisti diversos vídeos do YouTube. Uma coisa que não encontrei foram vídeos falando sobre as mutações. Tenho trombofilia e perco com poucas semanas, a minha mutação é polimorfismo PAI heterozigoto e MTHFR a1268C heteroxigoto. Fiz uma FIV e consegui o positivo, mas com 6 semanas parou de evoluir, e lembro que tive todos os exames bons, mas estava preocupada com a trombofilia e cheguei a pedir para o médico e ele disse que eu não tinha... Se der faça um vídeo comentando da sua mutação... sei que cada organismo reagi de uma maneira... mas dizem que há mutações mais brandas e as severas... mas todas tem que tomar os devidos cuidados... também há as hereditárias e as adquiridas... faça um vídeo para alertar... sei que não somos médicas, mas é muito válido o que as histórias de vida... Abraços !!

    ResponderExcluir
  10. Amanda, este é um tema muito específico e eu não sou apta para falar sobre ele. As mutações não dizem especificamente quando haverá uma perda. A minha é consderada leve, mas matou meu filho com 38 semanas gestacionais. isso é ser leve? Não dá para pensar desta forma. Há muita coisa envolvida em perdas com uso de anticoagulantes, como a dosagem que pode ser baixa ou a necessidade de verificar o sistema imunológico e entrar com a ILPS. Abs

    ResponderExcluir
  11. Leticia adorei seu vídeo de "10 coisas que uma tentante não deve fazer",dicas preciosas,principalmente no entitulado "treino" que compactuo com a mesma opinião que a sua, casais devem fazer amor e não treino,afinal filhos são feitos de amor e não da prática por si só, amo seus vídeos que já acompanho a algum tempo e acho um ato de amor muito nobre da sua parte compartilhar experiências e informações de uma forma simples e objetiva, seja com tentantes, gestantes ou mamães, se todos os médicos da área fossem assim amorosos no cuidado as pacientes seria maravilhoso.
    Muita luz em seu caminho!

    ResponderExcluir

O que você acha?