segunda-feira, 31 de outubro de 2016

Beber leite faz bem para a saúde, afirma Drauzio Varella

Postado por Letícia Murta às 14:23

"A que pontos nós chegamos! Ser necessária uma palestra para falar sobre os benefícios que o leite representa na saúde humana. Dietas da moda e desinformações passadas por profissionais estão demonizando alguns alimentos sem comprovação científica". Desta forma, Drauzio Varella, um dos médicos mais conhecidos do país, definiu, no evento #BebaMaisLeite, realizado em Belo Horizonte,  a rejeição aos laticínios que vêm aumentando progressivamente. O consumo de leite e derivados caiu no Brasil cerca de 40% nas últimas três décadas, segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

O aumento de diagnósticos de intolerância à lactose contribuiu para esse declínio. Porém, há uma crença, disseminada inclusive por alguns médicos e nutricionistas, que  o consumo da bebida está relacionado ao aumento no risco de doenças como problemas intestinais, inflamações e até câncer e transtornos psíquicos.  Embora exista uma forte vertente contrária ao consumo de leite, para Drauzio, recomendar restrição ao consumo do leite de origem animal para quem não tem alergia ou intolerância é equivocado.

"As informações atendem a milhares de interesses que não podemos definir. Analisem todos os sites das grandes universidades internacionais e brasileiras vocês não vão ver em lugar nenhum alguém que diga essas idiotices que vocês leem a respeito do leite. A vida tem que ser baseada nas evidencias que temos. Nós não podemos nos basear em boatos que vem de onde a gente não sabe".

Aporte mais barato e prático de cálcio

O médico defende o consumo de leite e derivados como uma das fontes mais práticas para suprir as necessidades do cálcio, alegando inclusive ser a mais barata e de fácil consumo. E acusa as teorias de malefício do leite de estarem prejudicando a população mais pobre, já que poderão ter uma dieta deficiente em cálcio 

"Não consigo pensar numa fonte de cálcio para a criança que seja mais disponível do que o leite. Você tem uma criança que coma um prato cheio de brócolis é muito difícil. Se a criança não tem uma ingestão razoável desses alimentos, o leite é a melhor forma. E você tem que manter essa criança o mais próximo possível de um grama por dia (de cálcio). O leite é a forma mais fácil, mais disponível e mais barata. para a massa da população brasileira, vamos lembrar que 61% dos brasileiros vivem com uma renda familiar de R$ 2.368. Pensar que a família tem uma mulher, um homem e duas crianças, isso dá praticamente R$ 600 pra cada um, para todos os gastos necessários. O leite é o aporte de cálcio mais barato,s e compra por R$ 2. As pessoas que ficam com essas teorias mirabolantes, conspiratórias, não pensam nisso. Não pensam que estão fazendo um desserviço, estão prejudicando a população mais pobre que vai acreditar nisso e vai ter uma dieta deficiente de cálcio. 

De acordo com o médico, na infância a massa óssea está em formação e segue assim até os 20 anos, quando a densidade atinge o pico. A partir daí, é importante iniciar uma prevenção contra danos futuros, pois a estrutura começa a enfraquecer. O organismo refaz o esqueleto inteiro a cada 10 anos e esse processo requer cálcio. No caso de consumo inferior do mineral, o organismo retira dos ossos, já que  99% do cálcio encontra-se ali. Isso resulta em perda óssea. 

"As consequências negativas de uma dieta pobre em cálcio são relacionadas à saúde dos ossos, dentes e ao aumento da pressão arterial. Ele ajuda na prevenção da síndrome metabólica, da prevenção do diabetes tipo 2.  É possível obter cálcio de outras fontes. No entanto, a quantidade ingerida de hortaliças deveria ser maior. (cerca de 400 gramas) O leite é uma fonte de proteína acessível, versátil e de fácil consumo. Não faz sentido retirar do cardápio esse alimento sem um diagnóstico que restrinja o consumo. A bebida ainda é uma das fontes mais importantes de cálcio", garante. 

O médico ainda falou de alguns mitos que envolvem o consumo de laticínios, como a inflamação e o desencadeamento de problemas respiratórios e garantiu: não há comprovação para afirmar que isso ocorre com quem não tem intolerância ou alergia.

"Tem pessoas que garantem que se sentem mal. O melhor que se faz é realizar exames para saber se deve restringir o consumo. O que não pode ser é que médicos e outros profissionais da saúde continuem disseminando mitos e instruindo para a retirada de leite da alimentação sem nenhuma comprovação de que o alimento vá fazer mal para aquela pessoa. Precisa de cuidado com o diagnóstico, porque a pessoa tem um desarranjo intestinal, ta com outros problemas e, pronto, já falam que tem intolerância à lactose.", explica.

Saúde requer cuidados para prevenção

O médico também falou sobre a ideia de ter mais saúde com a eliminação de gordura da dieta. Há mais de trinta anos, países como Estados Unidos e Grã-Bretanha recomendam redução no consumo de gordura saturada, encontrada em alimentos de origem animal, como carnes vermelhas e derivados de leite, sendo hoje essa recomendação já contestada. De acordo com Drauzio, o ideal é consumir todo tipo de alimento, mas sempre com moderação.

"Não há necessidade de se retirar da escolha alimentar um alimento. Nenhum alimento deveria ser excluído. Uma dieta variada deveria ser a escolha de todos. Comer de tudo, mas sempre em porções moderadas. O conselho do prato colorido é válido. Quanto mais variedade na alimentação, melhor", reafirmou. 

Drauzio ressaltou a importância de uma dieta equilibrada e a prática de atividades físicas para a manutenção da saúde e falou sobre o aumento progressivo de casos de diabetes e hipertensão. 

"Diabetes e hipertensão são doenças tão comuns que não se dá a devida importância. Não consideramos doença. Parece que é obrigatório. Não é! A medicina moderna hoje pensa que o envelhecimento não é igual ao adoecimento. Não tem cabimento chegar aos 50 anos e ter diabetes, pressão alta, dor no joelho, obesidade.... Não é o destino da humanidade...
Hipertensão  e diabetes são as maiores epidemias do Brasil.Quando se fala em epidemia, pensa-se logo em AIDS, tuberculose...  No Brasil são 800 mil pessoas com HIV positivo e 12 milhões com diabetes . Com 60 anos de idade, metade da população brasileira tem hipertensão", alertou. 


Nota da blogueira:

Todas as informações relatadas aqui são apenas transcrições do que foi dito na palestra. Como jornalista por formação e atuação, procurei abordar da maneira mais fiel possível o que foi dito por Drauzio Varella. Sei de toda a polêmica que envolve o consumo do leite e que mesmo entre a classe médica há divergência. Acredito que o melhor caminho seja a realização de exames para comprovar a intolerância ou alergia à proteína do leite para que, munido de embasamento, a dieta seja readequada. Compreendo também as motivações de veganos na retirada do leite da alimentação. Para minha vida, eu escolhi consumir leite e derivados. Sou apaixonada por queijos, iogurtes, requeijão, creme de leite, manteiga..... Minha família consome e não temos nenhum problema com esse tipo de alimento. Acredito que essa escolha deva ser consciente, munida de informação e embasada em evidências científicas. Justamente é esta a proposta do blog Eu Curto Ser Mãe. 





O site Beba Mais Leite fornece diversos materiais com embasamento científico a respeito do leite. Para quem quiser fazer uma pesquisa, o link é http://www.bebamaisleite.com.br

A blogueira Carol Oliva fez um vídeo com trechos da palestra de Drauzio Varella 
mostrando os principais mitos sobre o consumo do leite.  



0 comentários :

Postar um comentário

O que você acha?

 

EU CURTO SER MÃE Copyright © 2009 Baby Shop is Designed by Ipietoon Sponsored by Emocutez