Bebê arco-íris - EU CURTO SER MÃE

segunda-feira, 29 de fevereiro de 2016

Bebê arco-íris

Recebo muitas mensagens de mulheres que passaram pelo pesadelo da perda gestacional. A maioria que me procura vivenciou o que é chamado de parto natimorto, quando o bebê tem mais de 500g e já não é considerado mais um aborto. Há um parto, um enxoval, um nome, um quarto esperando este bebê na maioria das vezes. Foi assim comigo também. Numa dessas mensagens, a pessoa colocou alguns de seus medos de uma futura gestação. O medo de viver todo aquele pesadelo novamente é o maior, claro. Mas ela falou sobre o medo de desrespeitar sua dor, o luto pelo seu bebê, de sufocar a perda substituindo um filho por outro. Eu entendo. É um pensamento compreensível. Estamos esperando por um filho, que partiu cedo demais, e depois começamos tudo de novo, preparando tudo novamente para um outro bebê. 

Logo que Francisco morreu, eu não quis mais filhos. Pensei exatamente como essa leitora do blog narrou. Meu marido quis muito outro. Acabei alimentando este desejo novamente e quis, depois, engravidar o mais rápido possível. Durante todo o período gestacional eu nunca relaxei. Medo, luto, dor, lágrimas. Foi muito difícil. Demorei um tempo para desfazer o quarto dele, retirar as roupinhas de menino e substituir pelas de menina. Para mim, era como se eu estivesse realmente sepultando meu filho. Foi um processo doloroso demais. Eu fugi dos comentários maldosos ou mesmo dos bem intencionados que magoam ocultando minha gravidez dos curiosos. Apenas as pessoas mais próximas ficaram sabendo que eu gestava outro bebê. E quando Iolanda nasceu, eu vivi uma alegria que não imaginava mais ser possível. Eu consegui sorrir de verdade. Tudo mudou! A dor pelo filho que não está comigo existe. É inevitável. Mas ter o colo preenchido me deu forças para encontrar uma maneira de conviver com esta saudade que não passa.

Existe uma analogia sobre esses filhos que chegam após a partida de seus irmãos. São chamados de bebês arco-íris. Quando tive meu colo preenchido eu entendi o que quer dizer. Um arco-íris se forma após uma tempestade, com a chegada do sol. Ele não anula os danos causados pelo temporal. Ele não diminui os transtornos vividos. Mas o arco-íris traz esperança de dias melhores. 

7 comentários:

  1. Linda mensagem... Perdi minha Ariele com dois dias de nascida, em novembro de 2015. Uma dor irreparável. Mas hj Deus me concedeu uma nova gestação e oro para que este bebe que levo em meu ventre seja o meu arco-iris.

    ResponderExcluir
  2. Eu passei por esse pesadelo,uma perda irreparável,uma dor insuportável,um sonho destruído,um enxoval que ficou em um quarto trancado por quase 2 anos...Perdi meu filho após 12 dias de nascido, parto prematuro de 30 semanas.Mas eu não desisti do meu sonho, e Deus nos abençoou novamente, estou gestante de 9 semanas e alguns dias, e sei que logo estarei com meu bebê arco-íris nos braços, para acalentar essa dor, esquentar o meu colo e voltar a sorrir novamente.

    ResponderExcluir
  3. No dia 23 de agosto desse ano, eu perdi a minha filha, Maria Alice, aborto espontâneo de 20 semanas e 3 dias, proveniente de uma malformação uterina (Útero septado), que eu só descobri após a gestação. E esse mês que se passou desde que ela se foi, é o pior da minha vida, quero ver o tempo passar, os meus dias melhores chegarem, poder preencher o meu colo, mas nunca esquecer da Maria. Um vazio sempre vai existir no coração, mas espero poder ter a alegria de ser mãe do meu bebê arco íris. Tenho fé em Deus, que um dia vou vir aqui falar dessa felicidade.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este comentário foi removido pelo autor.

      Excluir
    2. Vc terá seu bb arco íris. Eu tenho a minha. Não foi fácil. Tive descolamento novamente, repouso absoluto novamente, várias interferências q me deixaram afastada do mundo durante 5 meses. Um medo constante. Mas ela chegou em jan/15. Acredite. Tudo ficará bem.

      Excluir
    3. Vc terá seu bb arco íris. Eu tenho a minha. Não foi fácil. Tive descolamento novamente, repouso absoluto novamente, várias interferências q me deixaram afastada do mundo durante 5 meses. Um medo constante. Mas ela chegou em jan/15. Acredite. Tudo ficará bem.

      Excluir
  4. Eu tive meu Bernardo prematuro de 26 semanas pela hellp síndrome ele viveu 7 dias e foi morar no céu em janeiro de 2016, em junho de 2016 descobri novamente uma gravidez, hj estou com 16s5d e tenho fé em Deus que logo meu bebê arco iris estará em meus braços realizando meu sonho!

    ResponderExcluir

O que você acha?